18 agosto 2018

20º Domingo do Tempo Comum

A liturgia do 20º Domingo do Tempo Comum repete o tema dos últimos domingos: Deus quer oferecer aos homens, em todos os momentos da sua caminhada pela terra, o “pão” da vida plena e definitiva. Naturalmente, os homens têm de fazer a sua escolha e de acolher esse dom. No Evangelho, Jesus reafirma que o objetivo final da sua missão é dar aos homens o “pão da vida”. Para receber essa vida, os discípulos são convidados a “comer a carne” e a “beber o sangue” de Jesus – isto é, a aderir à sua pessoa, a assimilar o seu projeto, a interiorizar a sua proposta. A Eucaristia cristã (o “comer a carne” e “beber o sangue” de Jesus) é um momento privilegiado de encontro com essa vida que Jesus veio oferecer. 




 Evangelho de João 6,51-58 


Naquele tempo, 

disse Jesus à multidão: 
«Eu sou o pão vivo que desceu do Céu. 
Quem comer deste pão viverá eternamente. 
E o pão que Eu hei-de dar é minha carne, 
que Eu darei pela vida do mundo». 
Os judeus discutiam entre si: 
«Como pode ele dar-nos a sua carne a comer?» 
E Jesus disse-lhes: 
«Em verdade, em verdade vos digo: 
Se não comerdes a carne do Filho do homem 
e não beberdes o seu sangue, 
não tereis a vida em vós. 
Quem come a minha carne e bebe o meu sangue 
tem a vida eterna; 
e Eu o ressuscitarei no último dia. 
A minha carne é verdadeira comida 
e o meu sangue é verdadeira bebida. 
Quem come a minha carne e bebe o meu sangue 
permanece em Mim e eu nele. 
Assim como o Pai, que vive, Me enviou 
e eu vivo pelo Pai, 
também aquele que Me come viverá por Mim. 
Este é o pão que desceu do Céu; 
não é como o dos vossos pais, que o comeram e morreram: 
quem comer deste pão viverá eternamente». 



SALMO  33 (34) 

Refrão: Saboreai e vede como o Senhor é bom. 

A toda a hora bendirei o Senhor, 

o seu louvor estará sempre na minha boca. 
A minha alma gloria-se no Senhor: 
escutem e alegrem-se os humildes. 

Temei o Senhor, vós os seus fiéis, 

porque nada falta aos que O temem. 
Os poderosos empobrecem e passam fome, 
aos que procuram o Senhor não faltará riqueza alguma. 

Vinde, filhos, escutai-me, 

vou ensinar-vos o temor do Senhor. 
Qual é o homem que ama a vida, 
que deseja longos dias de felicidade? 

Guarda do mal a tua língua
 e da mentira os teus lábios. 

Evita o mal e faz o bem, 
procura a paz e segue os seus passos. 


Para a semana que segue


O importante é viver e partilhar a vida. Nesta semana, poderíamos estar particularmente atentos àqueles que têm dificuldade em viver, porque o seu sofrimento é demasiado pesado… Talvez poderemos, simplesmente, estar presentes a seu lado e dizer-lhes uma palavra de vida, algumas palavras do coração que saibam reacender a esperança. 



Com o meu abraço na paz de Cristo.

Fonte: Portal dos Sarcedotes Dehonianos

15 agosto 2018

Assunção de Nossa Senhora

Hoje  a Igreja celebra a Assunção da Virgem Santa Maria e é feriado nacional.

«Bendita és tu, Maria! Hoje, Jesus ressuscitado acolhe a sua mãe na glória do céu… Hoje, Jesus vivo, glorificado à direita do Pai, põe sobre a cabeça da sua mãe a coroa de doze estrelas…»

Ap 11,19a;12,1-6a.10ab

Leitura do Apocalipse de São João

O templo de Deus abriu-se no Céu
e a arca da aliança foi vista no seu templo.
Apareceu no Céu um sinal grandioso:
uma mulher revestida de sol,
com a lua debaixo dos pés
e uma coroa de doze estrelas na cabeça.
Estava para ser mãe
e gritava com as dores e ânsias da maternidade.
E apareceu no Céu outro sinal:
um enorme dragão cor de fogo,
com sete cabeças e dez chifres
e nas cabeças sete diademas.
A cauda arrastava um terço das estrelas do céu
e lançou-as sobre a terra.
O dragão colocou-se diante da mulher que estava para ser mãe,
para lhe devorar o filho, logo que nascesse.
Ela teve um filho varão,
que há-de reger todas as nações com ceptro de ferro.
O filho foi levado para junto de Deus e do seu trono
e a mulher fugiu para o deserto,
onde Deus lhe tinha preparado um lugar.
E ouvi uma voz poderosa que clamava no Céu:
«Agora chegou a salvação, o poder e a realeza do nosso Deus
e o domínio do seu Ungido».


Salmo 44 (45)

À vossa direita, Senhor, a Rainha do Céu,
                 ornada do ouro mais fino.
  
Ao vosso encontro vêm filhas de reis,
à vossa direita está a rainha, ornada com ouro de Ofir.

Ouve, minha filha, vê e presta atenção,
esquece o teu povo e a casa de teu pai.

Da tua beleza se enamora o Rei;
Ele é o teu Senhor, presta-Lhe homenagem.

Cheias de entusiasmo e alegria,
entram no palácio do Rei.

Oração a Nossa Senhora da Assunção

De sol, ó Virgem, vestida, de branca lua calçada;
de doze estrela-coroas coroada.
A terra toda te canta, da morte Dominadora,
no céu a ti temos, todos, Protetora.
Fiel conserva os fiéis, procura a ovelha perdida.
Brilha na treva da morte, Lua e Vida.
Ao pecador auxilia, ao triste, ao fraco, e ao pobre.
Com teu manto materno todos cobre!
Louvor à excelsa Trindade que dê a coroa a quem ele fez Mãe e Rainha nossa. 
Amém.


Desejo-vos um bom feriado e que Nossa Senhora por todos interceda.

14 agosto 2018

“Para chegares a saborear tudo,

«Ó Senhor, Deus meu! Quem Te buscará com amor tão puro e singelo que deixe de Te encontrar, conforme o desejo de sua vontade, se és Tu o primeiro a mostrar-Te e a sair ao encontro daqueles que Te desejam?”


“Para chegares a saborear tudo,
não queiras ter gosto em coisa alguma.
Para chegares a possuir tudo,
não queiras possuir coisa alguma.
Para chegares a ser tudo,
não queiras ser coisa alguma.
Para chegares a saber tudo,
não queiras saber coisa alguma.
Para chegares ao que não gostas,
Hás-de ir por onde não gostas.
Para chegares ao que não sabes,
Hás-de ir por onde não sabes.
Para vires ao que não possuis,
Hás- de ir por onde não possuis.
Para chegares ao que não és,
Hás-de ir por onde não és.

Modo de não impedir o tudo:

Quando reparas em alguma coisa,
deixas de arrojar-te ao tudo.
Porque para vir de todo ao tudo,
Hás-de negar-te de todo em tudo.
E quando vieres a tudo ter,
hás de tê-lo sem nada querer.
Porque se queres ter alguma coisa em tudo,
não tens puramente em Deus teu tesouro.”

São João da Cruz


11 agosto 2018

19º Domingo do Tempo Comum

A liturgia do 19º Domingo do Tempo Comum dá-nos conta, uma vez mais, da preocupação de Deus em oferecer aos homens o “pão” da vida plena e definitiva. Por outro lado, convida os homens a prescindirem do orgulho e da auto-suficiência e a acolherem, com reconhecimento e gratidão, os dons de Deus. 



Ef 4,30-5,2 
Leitura da Epístola do apóstolo São Paulo aos Efésios 
Irmãos: 
Não contristeis o Espírito Santo de Deus, 
que vos assinalou para o dia da redenção. 
Seja eliminado do meio de vós 
tudo o que é azedume, irritação, cólera, insulto, maledicência 
e toda a espécie de maldade. 
Sede bondosos e compassivos uns para com os outros 
e perdoai-vos mutuamente, 
como Deus também vos perdoou em Cristo. 
Sede imitadores de Deus, como filhos muito amados. 
Caminhai na caridade, a exemplo de Cristo, 
que nos amou e Se entregou por nós, 
oferecendo-Se como vítima agradável a Deus. 



 Salmo 33 (34) 
Refrão: Saboreai e vede como o Senhor é bom. 

A toda a hora bendirei o Senhor, 
o seu louvor estará sempre na minha boca. 
A minha alma gloria-se no Senhor: 
escutem e alegrem-se os humildes. 

Enaltecei comigo o Senhor 
e exaltemos juntos o seu nome. 
Procurei o Senhor e Ele atendeu-me, 
libertou-me de toda a ansiedade. 

Voltai-vos para Ele e ficareis radiantes, 
o vosso rosto não se cobrirá de vergonha. 
Este pobre clamou e o Senhor o ouviu, 
salvou-o de todas as angústias. 

O Anjo do Senhor protege os que O temem 
e defende-os dos perigos. 
Saboreai e vede como o Senhor é bom: 
feliz o homem que n’Ele se refugia. 



Evangelho de João 6,41-51 

Naquele tempo, 
os judeus murmuravam de Jesus, por Ele ter dito: 
«Eu sou o pão que desceu do Céu». 
E diziam: «Não é ele Jesus, o filho de José? 
Não conhecemos o seu pai e a sua mãe? 
Como é que Ele diz agora: ‘Eu desci do Céu’?» 
Jesus respondeu-lhes: 
«Não murmureis entre vós. 
Ninguém pode vir a Mim, 
se o Pai, que Me enviou, não o trouxer; 
e Eu ressuscitá-lo-ei no último dia. 
Está escrito no livro dos Profetas: 
‘Serão todos instruídos por Deus’. 
Todo aquele que ouve o Pai e recebe o seu ensino 
vem a Mim. 
Não porque alguém tenha visto o Pai; 
só Aquele que vem de junto de Deus viu o Pai. 
Em verdade, em verdade vos digo: 
Quem acredita tem a vida eterna. 
Eu sou o pão da vida. 
No deserto, os vossos pais comeram o maná e morreram. 
Mas este pão é o que desce do Céu 
para que não morra quem dele comer. 
Eu sou o pão vivo que desceu do Céu. 
Quem comer deste pão viverá eternamente. 
E o pão que Eu hei-de dar é a minha carne, 
que Eu darei pela vida do mundo». 


Para a semana que segue:
Saborear Deus, saborear a bondade da Criação… O verão presta-se muito particularmente, em qualquer lugar onde estivermos, a fazer-nos saborear a bondade do Senhor através da beleza da sua Criação. Paisagens, elementos naturais, animais, astros, etc… E, no cume, as pessoas que encontramos, todas criadas à imagem do Criador! 


  Desejo-vos um bom domingo com o meu abraço na paz de Cristo.
Ailime


Fonte: Portal dos sacerdotes Dehonianos
Imagens Google