25 outubro 2008

Entardecer


O entardecer do Outono irrompe,
Com as árvores desnudadas
Nos campos dourados que habitam
Em mim, contigo a meu lado.

O banco do jardim, deserto de sonhos,
Aguarda nossos corpos cansados
Para nele repousarmos
As dores, do amor idealizado.

Um pássaro esvoaça e assusta-se,
Com as bengalas do tempo com
Que arrastamos as migalhas
Dos sonhos, que não abraçámos.

17 comentários:

  1. "...repousar as dores do amor idealizado.."
    Seu poema é lindo e triste...Muito triste!


    Beijos de luz e o meu especial carinho, amiga!

    ResponderEliminar
  2. olá Emília!
    Obrigada pelo comentário no muitaterra.
    Beijinhos!

    P.S. - bonito poema :)

    ResponderEliminar
  3. Mundo Azul,
    Obrigada pelo comentário. É preciso ter esperança!
    Em cada Primavera toda a vida se renova e o amor também!
    Beijinhos em tons de azul.

    Filipa e Artur!
    Quem está grata sou eu pela vossa amável visita e generoso comentário.
    Beijinhos para ambos,
    com todo o meu carinho.

    ResponderEliminar
  4. Um poema de outono. As folhas dos plátanos a caírem de tão douradas.
    Um beijo.

    ResponderEliminar
  5. Um poema de Outono, com o outono da vida...
    Amiga, tudo tem o seu tempo e há um tempo para tudo, não é? Vivamos cada tempo no tempo certo, sendo que todo o tempo é tempo para amar!

    Beijinho

    ResponderEliminar
  6. Oi minha querida! Concordo com você, é preciso não abdicar da esperança nunca. E nunca do amor. É como se a esperança e o amor estivessem de mãos dadas, entrelaçadas, e assim caminhassem.É tão lindo isso que me leva a pensar...que o amor nasce da esperança e a esperança nasce do amor...Amemos, então, e tenhamos esperança...E esperemos, então, e teremos amor...Jesus e Maria lhe abençoem muito e ao seu lindo caminho N'Eles! Mil bjos carinhosos!

    ResponderEliminar
  7. Graça Pires,
    Grata pelas suas palavras! O Outono é lindo nos seus tons dourados.
    Um beijo.

    Fá Menor,
    Exactamente como diz!
    Grata pelas suas palavras.
    Que saibamos aproveitar o tempo, enquanto formos tendo tempo.
    Beijinhos.

    Kenosis,
    Entendeu perfeitamente a minha mensagem!
    O amor e a esperança, no meu fraco entender, andam sempre de mãos dadas e é isso que dá mais sabor às coisas belas da vida!
    Que as saibamos aproveitar sempre, com a ajuda de Cristo e Maria.
    Bem-haja pela sua generosidade.

    ResponderEliminar
  8. A poesia é, muitas vezes, o melhor «balsamo» para as emoções...

    Obrigado pela visita.
    Beijo
    Paulo


    «No Outono da Minha Vida


    No outono dessa minha longa vida,

    Tu és o meu amor, o derradeiro,

    Mulher mais esperada, mais querida,

    Tomou meu coração, já por inteiro.



    Eu sonho com teus olhos, noite e dia,

    Razão que é maior p’ra meu viver.

    És tu que me enche a alma de alegria,

    Contudo, não me queres, é meu sofrer!



    Tu és a minha última esperança,

    Aquela que em meus sonhos é constante,

    Um sonho que esperei todos meus tempos.



    Visão que não me sai mais da lembrança,

    Miragem que eu vejo a todo instante,

    Que está, por todo sempre, em meus momentos.»

    (Manoel Virgílio)

    ResponderEliminar
  9. Amiga

    Um excelente momento... um poema que nos envolve.

    Um poema lindo e triste, nesta comunhão perfeita do sorrir e do chorar, onde as palavras falam por si.

    Bjs com amizade
    Luis

    ResponderEliminar
  10. Paulo,
    Fico sempre muito feliz quando me visita.
    Este poema que aqui me "deixou" de Manoel Virgílio é lindíssimo!
    Não tenho palavras para lhe agradecer este momento que me proporcionou.
    Na realidade, a expressão escrita dos nosso sentires, é um verdadeiro “bálsamo para as emoções”, como afirma...e a esperança a última coisa a perecer no coração dos homens.
    Apesar do Outono, das tempestades do Inverno, eu acredito na Primavera da Vida.
    Beijinhos.

    Luís F.,
    Muito grata pela sua visita!
    O seu comentário deixa-me sem palavras, pois na verdade limito-me a registar algumas das minhas "emoções", neste cantinho onde tenho sido muito acarinhada.
    Bem-haja pela sua generosidade.
    Beijinhos com
    muita amizade.

    ResponderEliminar
  11. Oie Aiiime!
    Sou amiga da Maria Pires!
    Lindo seu entardecer....
    Bem sonho com um sonho, rs
    Estou torcendo para sair do sonho e virar primavera.
    Embora o amor seja muitas vezes idealizado, penso que devemos sonhar, pois alimenta a alma, certo que no tempo, que tem o tempo.
    Prazer em vir em seu canto.
    Beijinhos, mari!

    ResponderEliminar
  12. Existe um tempo para tudo,
    mas por vezes esse tempo passa sem nos apercebermos que mesmo as migalhas podem ser importantes

    beijinhos

    ResponderEliminar
  13. Reli o seu poema...Gostei muito desse poema, pois retrata o que muitos de nós também sentimos...

    Amores de sonhos, perdidos no tempo!


    Beijos de luz e o meu carinho, muito especial, amiga!!!

    ResponderEliminar
  14. Mari,
    Muito obrigada pela sua visita e comentários.
    Volte sempre assim que o entenda. É muito bem-vinda.
    Nunca perca a capacidade de sonhar e lutar pelas suas aspirações.
    Um grande beijinho.

    Multiolhares,
    É verdade, às vezes não sabemos aproveitar as pequenas grandes coisas com que a vida nos presenteia, mas nunca é tarde para reavê-las...
    Beijinho de gratidão.

    Mundo Azul,
    Muita grata por reler estas minhas palavras, que reflectem na verdade, o que nos vai acontecendo ao longo das nossas vidas!
    Relevante é que saibamos sempre lutar para que os nossos sonhos se concretizem não abdicando dos nossos ideais!
    Beijinhos em tons de azul.
    Um fim-de-semana muito feliz para si e
    muito obrigada pela sua amizade.

    ResponderEliminar
  15. Lindo poema!!!!
    O outono tem seus tons e sua beleza.
    Obrigado pela visita!
    Um bjo!

    ResponderEliminar
  16. Sérgio,
    Eu é que agradeço a sua visita.
    Bem-haja.
    Vou continuar a aguardar as suas fotos que admiro imenso.
    Bj.

    ResponderEliminar

«Disse-lhe Jesus: Eu sou o caminho, a verdade e a vida; ninguém vem ao Pai, senão por mim.»
(João 14:6)
Muito obrigada por me ajudar a caminhar com Cristo!
Ailime